Curso de Franciscanismo: “O leproso foi a ‘porta santa’ de Francisco”



Frei Zilmar Augusto Moreira de Oliveira, ofm

O segundo dia do Curso de Franciscanismo iniciou-se com os louvores festivos à Nossa Senhora Aparecida durante a Celebração da Eucaristia, presidida por frei Fidêncio Vamboemmel, Ministro Provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, na Fraternidade Franciscana São Boaventura em Campo Largo (PR). Na homilia, frei Fidêncio falou sobre a Antífona à Virgem Maria, de São Francisco de Assis, destacando que Maria é a “filha e serva do Altíssimo, Mãe do Santíssimo Senhor Jesus Cristo, esposa do Espírito Santo”



Já no salão São Boaventura, lugar onde estão sendo ministrados os temas, Frei Fidêncio abordou o tema reservado para este dia (12/10): “A Misericórdia em São Francisco de Assis”. De início narrou, de modo livre, o testemunho de Bartolomeu de Pisa, que relata como Francisco de Assis, após uma visão mística de Jesus e sua Santíssima Mãe, foi pedir o Papa e alcançou dele a Indulgência Plenária, destacando e comentando três momentos:
 
  • “Santíssimo Pai, mesmo que eu seja um mísero pecador, te peço, que, a todos quantos arrependidos e confessados, virão a visitar esta igreja, lhes conceda amplo e generoso perdão, com uma completa remissão de todas as culpas”. 
  • “Pai santo, não peço por anos, mas por almas”.
  • “Irmãos meus, quero mandar-vos todos ao paraíso! ”
Após esse contato com esse testemunho e explanações, falou que “a Misericórdia foi um tema que muito preocupou a São Francisco. Talvez seja um dos temas centrais para a vivência da fraternidade. Pois, olhando seus Escritos, a palavra misericórdia e similares aparecem quase 50 vezes”. E, para constatar, apresentou alguns trechos dos Escritos nos quais aparecem a expressão Misericórdia, chamando a atenção, principalmente, para a Carta a um Ministro. Á guisa de compreensão, nesta Carta Francisco escreve a certo ministro, já muito desgostoso com os problemas da vida fraterna e que por isso quer viver num eremitério, que mais importante que viver num eremitério é viver em fraternidade, usando de misericórdia. “Esta carta é a carta magna da misericórdia para Francisco”, disse.

Partindo do lema do Ano Santo da Misericórdia: “Misericordioso como o Pai (Lc 6, 36), o frade destacou que a misericórdia para Francisco é:
 
  1. Atributo de Deus: Primeiro Francisco pensa no Deus misericordioso e lhe faz atribuições: “Tu és o Santo, Tu és o Forte...” (Louvores ao Deus Altíssimo).
  2. Uma atitude necessária em nossas relações fraternas e interpessoais: Sem o exercício da misericórdia no dia a dia da vida fraterna, a vida se torna rígida, pesada e amarga.
  3. Um modo cortês com que nos relacionamos com a criação: Aqui vemos a importância de Francisco diante da misericórdia. Ele convida tudo a louvar a misericórdia do Senhor.
Lançando mão do Testamento de São Francisco e das expressões “o Senhor concedeu a mim...” e “eu fiz misericórdia com eles”, Frei Fidêncio disse que “o leproso foi a ‘porta santa’ de Francisco”, ressaltando que a porta deve ser entrada para uma vida nova, transformada. “o passar por esta porta fez com que Francisco se transformasse por inteiro. Isso delineou toda a sua vida em fraternidade, na Igreja...” E brincou: “tomemos o cuidado para não passarmos por uma porteira pensando que é uma porta! São coisas diferentes!”.

Disse que ao passar por esta porta (leproso), Francisco saiu consciente, agora tinha um compromisso: as obras de misericórdia. Por isso, enfatizou: “as obras de misericórdia nos obrigam a viver num espírito de pobreza, nos livrando da autorreferencialidade... As obras de misericórdia, em nossas fraternidades, não podem ser ações facultativas”! E, aludindo ao tema da misericórdia como virtude, convidou: “Precisamos recuperar o profetismo da misericórdia e do discernimento”!

Muito mais ampla foi a reflexão feita durante toda essa quarta-feira. Segundo Frei Fidêncio, poderíamos ficar por muito tempo debruçado sobre todo os Escritos de São Francisco. Contudo, aqui partilhamos um pouquinho do que foi a reflexão franciscana de hoje. Toda essa temática nos aponta sempre para o concreto da vida, para o “fazer misericórdia” com quem está caído, com o irmão, com a irmã. Afinal, foi no encontro com o leproso que Francisco viu, discerniu, abraçou e experimentou o rosto misericordioso do Pai.
 
OBS: Informamos que todo o material utilizado pelos palestrantes durante o curso, será disponibilizado em nosso site na sexta-feira (14/10).

VEJA COMO FOI O PRIMEIRO DIA DO CURSO:

CONFIRA ALGUMAS FOTOS DESTE SEGUNDO DIA DO CURSO DE FRANCISCANISMO
Carregando...